Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


calendário

Setembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Pesquisar

 

Mais sobre mim

foto do autor



Mensagens


Comentários recentes

  • Anónimo

    MUITO INTERESSANTE!

  • Anónimo

    Agir de forma realista, e esperar que o tempo reve...

  • Anónimo

    Desde que a ajuda não tenha motivos escondidos.......


Notas




Visitas

Flag Counter by Stats4U Show Stats for this Counter



Discutir, dialogando

Sábado, 02.09.17

Quando estamos no meio de uma discussão, devemos cuidar de nossas palavras e escolhê-las sabiamente para não piorar a situação e poder chegar a um acordo com a outra parte

Foto: Melhor com Saúde

 


 
Uma discussão se caracteriza por um diálogo onde existem discrepâncias, diferença de opiniões e a clara necessidade de impor uma verdade sobre os argumentos da outra pessoa.

Apesar de que ninguém nos tenha ensinado como se discute de forma saudável com a finalidade de chegar a um acordo mútuo, existem uma série de factores chave que podem ajudar.

Algo que devemos entender, em primeiro lugar, é que o principal inimigo de uma discussão construtiva e respeitosa são as emoções negativas.

 
Um desacordo com o parceiro, um mal-entendido com um colega de trabalho ou com nossos chefes, gera muitas vezes incómodo, irritação, frustração e até mesmo raiva.

Controlar essas emoções nos oferecerá uma calma mental para ter uma maior efectividade na hora de argumentar e sair triunfantes em qualquer discussão.

 

Descubra estas 5 chaves fáceis de serem obtidas.

1. Sem ataques: discutir é também escutar e levar o outro a sério
Uma discussão não se ganha atacando o outro. Ganha-se com boas argumentações e com o carisma de alguém que se sente seguro de si mesmo, para influenciar a outra pessoa, guiando-a para um bom acordo.

É necessário entender, em primeiro lugar, que os ataques, desprezos, gritos e acusações não servem de nada em uma discussão.
Além disso, as intensificam até chegar ao ponto de não ter volta. Não são úteis.

Apesar de que este tipo de diálogo intenso parta de um desacordo ou de algo que nos incomoda ou nos machuca, é importante não o converter em algo pessoal.
Tente manter a mente fria, o coração morno e a voz firme.
Nunca deixe de levar a outra pessoa em consideração. Se as emoções negativas controlarem você, deixará de escutar, e se não escutar, não oferecerá argumentos lógicos nem válidos.

2. Em uma discussão, no lugar do “por que”, faça uso do “como”

 
Pode parecer bobagem, mas quando estamos no meio de uma discussão, existem determinadas palavras que podem nos ajudar a “descolocar” à outra pessoa ao obrigá-la a tomar consciência de algo com maior profundidade.

Um exemplo: pense que está no meio de uma discussão com seu parceiro e lhe diga o seguinte:

Por que você me deixa de lado quando toma uma decisão? Por que fez isso sem me dizer nada?
O mais comum é que, ante este tipo de pergunta, a outra pessoa emita respostas clássicas que talvez você já tenha previsto.

No entanto, pense o que pode acontecer quando você pergunta da seguinte maneira:

Como você acredita que me sinto quando age sem me levar em consideração?
3. Não pense em “ter razão”. Pense em chegar em um acordo comum

A finalidade de uma discussão não é a de impor nossa verdade na mente da outra pessoa. O que buscamos é o seguinte:

Que a outra pessoa tome consciência de nosso ponto de vista.
Não queremos piorar mais a situação.
Sair ambos fortalecidos depois de ter chegado a um acordo.
4. Controle o tom de sua voz, seja assertivo e evite repetições
Frases como “você não me entende”, “você não sabe o que quero te dizer” ou até mesmo iniciar as frases com a palavra “não”, já supõe colocar um muro na fluência do diálogo.

Logo, já estaríamos colocando uma emoção negativa na conversa.

 
Fale com assertividade, seja firme, porém enfático com a outra pessoa.
Ao invés de iniciar as frases com a palavra não, é bom dizer um “eu sei o que quer me dizer e te entendo”.
Procure deixar o tom de voz relaxado, sem perder a calma e mostrando-se sempre próximo e amável.
Apesar de que não devemos descuidar do aspecto emocional em nenhum momento, é recomendado também fazer uso da lógica.
O mais comum é que, em certo momento, a outra pessoa deixe cair algum argumento que careça de lógica. Esteja atento para detectá-lo e fazê-la ver o seu erro.
Descubra também como meditar enquanto caminha

5. Argumente e traga ideias que despertem a empatia da outra pessoa

Um dos problemas mais comuns que costumamos ter na hora de manter uma discussão, é que não sabemos argumentar.

As ideias, as emoções e os pensamentos se acumulam na mente, mas não conseguimos colocar uma ordem clara para poder debater com assertividade, calma e certeza.
Devemos aprender a organizar nossas ideias para expô-las de forma clara, concisa e segura.
Por outro lado, outra proposta bem adequada é introduzir frases que despertem “obrigatoriamente” a empatia da outra pessoa.

Estes seriam alguns simples exemplos:

“Você me entende, sabe o que quero dizer”.
“Você é uma pessoa inteligente e sabe entender minha posição”
Para concluir, aprender a discutir de forma sábia requer tempo e habilidades adequadas de Inteligência Emocional.

Discutir com calma, respeito e com bons argumentos nos ajudará a sairmos vitoriosos e com um acordo para ambas as partes.

 

Temas relacionados:

TRATADO DE PAZ

OS CIÚMES CORROEM

 

Fonte:

Melhor com Saúde

Autoria e outros dados (tags, etc)

A água é de todos