Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


calendário

Julho 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Pesquisar

 

Mais sobre mim

foto do autor



Mensagens


Comentários recentes

  • Anónimo

    MUITO INTERESSANTE!

  • Anónimo

    Agir de forma realista, e esperar que o tempo reve...

  • Anónimo

    Desde que a ajuda não tenha motivos escondidos.......


Notas




Visitas

Flag Counter by Stats4U Show Stats for this Counter



Lagarta: Devora o plástico na Natureza

Sexta-feira, 07.07.17

Investigadores estão a estudar a forma de tornar a descoberta num modo de combater, em larga escala, os resíduos de plástico, através da traça-da-cera !

 Foto: César Hernandez/CSIC

Uma investigadora do Conselho Superior de Investigações Cientificas (CSIC), de Espanha, Federica Bertocchini, em parceria com o bioquímico Paolo Bombelli, da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, descobriram uma lagarta que se pode tornar na maior arma contra a poluição, uma vez que come plástico.

A descoberta foi feita por acaso por Bertocchini. Ao limpar uma das suas colmeias, removendo o parasita Galleria mellonella a que se dá o nome de traça da cera, por destruir esse material produzido pelas abelhas, colocou as lagartas num saco de plástico. Passado algum tempo verificou que o saco tinha buracos e decidiu investigar a causa.

 

A lagarta Galleria mellonella 

Chegou à conclusão que as larvas, além de adorarem cera, também se deliciam com plástico, tendo capacidade para quebrar as ligações químicas do mesmo e assim degradá-lo. E tudo acontece rapidamente – a cientista juntou 100 lagartas num saco de supermercado e, em 40 minutos, já havia buracos.

 

Polietileno (PE), o inimigo da natureza

O polietileno, que se usa no fabrico de sacos e embalagens para alimentos, entre outros, é um dos produtos mais difíceis de eliminar, a sua degradação é tão lenta que podem passar 100 anos até que um saco de plástico desapareça. Anualmente, em todo o mundo são produzidas 80 milhões de toneladas deste material.

Esta descoberta e os resultados das experiências que se seguiram entusiasmou os cientistas que vão prosseguir com mais estudos: "A lagarta é o ponto de partida. Precisamos entender os detalhes de como o processo ocorre. Esperamos ter uma solução técnica para minimizar o problema da acumulação de resíduos de plástico", explicou Bombelli à BBC News.

"Se conseguirmos conhecer o mecanismo molecular e isolar a molécula responsável, podemos produzir [a traça da cera] in vitro à escala industrial e usá-la para destruir o polietileno", disse Bertocchini ao El Mundo. Até lá, avisa: "não devíamos sentir que podemos deliberadamente atirar polietileno no nosso ambiente, simplesmente porque agora temos como degradá-lo".

 

Temas relacionados:

PLÁSTICO NO MAR: FUNGO DEVORA-O ?

LOIÇA BIODEGRADÁVEL E COMESTÍVEL

GARRAFA: BIODEGRADÁVEL É FEITA DE ALGAS

BACTÉRIA QUE DEVORA PLÁSTICO

SISTEMA DE LIMPEZA DOS OCEANOS

 

Fontes:

Forschung und Wissen

S//Ecosfera

Autoria e outros dados (tags, etc)

A água é de todos


1 comentário

De Angola a 07.07.2017 às 07:59

Ideia mais que necessária por haver saco plástico por todo o lado e assim poluindo o planeta e o ser humano.

Comentar post