Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


calendário

Março 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Pesquisar

 

Mais sobre mim

foto do autor



Mensagens


Comentários recentes

  • Ciêncianazis

    Eu já não me interesso mais pela ciência atual com...

  • Arrefecimento GLOBAL

    O passado mês de agosto e também este mês foram do...

  • joão

    Fan...tástico. Mais barato ....e sem cheiro(s)João


Notas




Visitas

Flag Counter by Stats4U Show Stats for this Counter

Blogsportugal



Morcegos ao serviço do agricultor

Sexta-feira, 17.03.17

Uma alternativa mais saudável e sustentável para o meio ambiente. Os morcegos há uns anos atrás eram considerados erroneamente como "praga", são agora a solução encontrada no combate às pragas de insectos nas culturas apresentada no Vale do Tua, em Trás-os-Montes.

 

O mais recente projecto do Parque Natural Regional do Vale Tua está a distribuir pelas propriedades agrícolas dos 5 concelhos, 50 abrigos para morcegos, para assim criar condições para os morcegos se instalarem, reproduzirem e desta forma ajudarem a combater pragas como a mosca da azeitona, borboletas nocturnas  e outros insectos que destroem as culturas.

Os agricultores estão a aderir ao projecto, com alguma surpresa, principalmente aqueles que, como Eduardo Cabanelas, nunca tinham olhado, nesta perspectiva, para os morcegos que antigamente irrompiam nas noites quentes de verão passadas à porta de casa nas aldeias. 

 

Eduardo Caravelas é o responsável pela propriedade agrícola, em Frechas, no concelho de Mirandela, onde o projecto foi apresentado e confessou que ficou "um bocadinho surpreendido" quando soube da ideia. "Vamos lá ver se isso aprova", respondeu quando questionado sobre a expectativa em relação aos resultados.

 

Existirão morcegos em quantidade suficiente?

Mais entusiasmado pareceu António Aires, do concelho de Murça, acha "o projecto bastante interessante". Resta-lhe apenas uma dúvida, a de se haverá morcegos em número suficiente. "Quando era jovem, lá na minha aldeia, nas noites de verão, via muitos morcegos lá pela rua, e hoje não se encontra quase um", observou. Este projecto abrange ainda propriedades agrícolas dos concelhos de Carrazeda de Ansiães, Vila Flor e Alijó que, juntamente com Mirandela e Murça, fazem parte do parque.

O presidente do parque, Artur Cascarejo, explicou que este projecto resulta de uma candidatura ao Fundo de Preservação da Natureza e da Biodiversidade, do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), contemplada com cerca de 200 mil euros com objectivo de utilizar a biodiversidade para ajudar a combater as pragas agrícolas e evitar o uso dos cancerígenos pesticidas.

No parque do Vale do Tua trata-se de "pragas" de insectos que afectam as culturas como o olival e a vinha, assim como a floresta. O projecto terá a duração de três anos.

 

Temas relacionados:

FLORESTA: O MILAGRE QUE BROTA NO DESERTO

BIRMÂNIA: BANIDA A DESFLORESTAÇÃO

ERNST GÖTSCH E A AGROFLORESTA: PRODUZIR COM A LÓGICA DA ABUNDÂNCIA

PORQUE ARDE PORTUGAL MAIS DO QUE TODO O RESTO DA EUROPA?!?

PLANTAR ÁRVORES É UM MODO DE TORNAR O PLANETA MAIS HABITÁVEL

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:11

A água é de todos


1 comentário

De Anónimo a 23.03.2017 às 10:30

Os animais têm a sua importância na natureza.

O homem tem modificado o meio ambiente, fruto da sua ganância e insensibilidade.

Em contraponto a essa ideia, em certos locais para afastar animais das zonas agrícolas as "autoridades " passaram a permitir a utilização de canhões, que emitem um ruído semelhante a um tiro, foguete, para afugentar os animais.
É óbvio que a poluição sonora que esses dispositivos emitem prejudica as pessoas que vivem perto desses locais e os outros animais, mas como a ganância, o egoísmo e o dinheiro falam mais alto, as autoridades inventaram uma lei que permitisse a utilização desses canhões.
O mundo caminha a passos largos para a destruição, devido á acção do homem.


Comentar post