Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


calendário

Janeiro 2019

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Pesquisar

 

Mais sobre mim

foto do autor


Mensagens

subscrever feeds


Comentários recentes

  • Anónimo

    musica da boahttps://www.youtube.com/watch?v=rSFfa...

  • Anónimo

    boa musica tradicional, natureza e harmoniahttps:/...

  • Anónimo

    interessante


Notas





BPT


Atenção: Este blogue, não visa substituir o seu técnico de saúde de sua confiança!

As informações contidas neste blogue não substitui de forma alguma a consulta de um profissional de saúde de sua confiança. Consulte sempre o seu profissional de saúde sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e bem-estar, bem como os seus tratamentos e outros. Embora sejam tomados cuidados para as informações contidas neste blogue estejam correctas, algumas informações nos artigos deste blogue podem conter erros dos mais variados aspectos, pelo qual este blogue não se responsabiliza de nenhuma forma. Somente uma visita física ao seu técnico de saúde lhe pode fornecer as informações e cuidados que melhor se adequam a si/vc. As informações contidas neste blogue não se destinam a serem usadas como um substituto ou aconselhamento profissional. Quaisquer dúvidas ou preocupações que você tenha sobre sua saúde devem ser discutidas com seu técnico de saúde. Por favor, note que a informação sobre a saúde está a mudar constantemente. Portanto, algumas informações podem estar desactualizadas. Os comentários publicados são da responsabilidade dos seus autores e dos leitores que dele fizerem uso. Os comentários não reflectem a opinião do blogue. Ao visitar este blogue você concorda com estes termos.


A cura

Paracelsus: "O que cura é o amor."

Reflexão do mês: Virtudes, paixões e instintos

Domingo, 27.03.16

Imagem:mnogolok

 

São estas as virtudes que fazem evoluir a humanidade:

-  A bondade, o desapego, a esperança, a fé (em si mesmo), a generosidade, a humildade, a indulgência (capacidade em perdoar), a justiça e a pureza.

 

Também se pode considerar as seguintes virtudes:

 

 

 

O oposto das virtudes acima mencionadas são:

 

AS PAIXÕES HUMANAS no PLANO EMOCIONAL

Como foi visto no texto anterior, cada tipo distorce a Idéia Divina com a qual está afinado, desenvolvendo uma idéia fixa a partir da qual interpreta a vida. Aprisionado a uma interpretação mental o tipo acaba por criar uma atmosfera emocional que permeia todas as suas manifestações com sentimentos compulsivos e assim atua reativamente diante da vida. As emoções deturpadas constituem as paixões de cada tipo, que a elas se agarram como forma de compensar e justificar seus vazios emocionais e o trabalho a realizar aqui é reconhecer sua paixão e buscar desenvolver a virtude que a ela se contrapõe no nível do ser.

Vejamos, então, como se manifestam as paixões de cada um dos tipos.

 

Tipo 1: Fixado em seu perfeccionismo, tipo 1 não admite errar, não admite ser julgado como falho, e desenvolve por isto um sentimento de raiva não explicitamente manifesta que se traduz numa IRA permanente que o castiga com cobranças internas por não ser perfeito. Da mesma forma também não é capaz de aceitar as “imperfeições” alheias, imperfeições que são apenas maneiras diferentes de agir e que, na sua rigidez, não é capaz de entender ou admitir.  A contrapartida desta IRA seria a virtude da SERENIDADE traduzida por uma ausência de expectativa de perfeição, uma capacidade de flexibilidade, de abertura para outras maneiras de ser que não as suas rígidas normas e regras.

 

Tipo 2: Insaciável em sua necessidade de agradar, de se fazer necessário, tipo 2 tem por paixão o ORGULHO de se achar com capacidade de amar mais que os outros, de ser capaz de tudo suportar mais que os outros, de saber doar-se mais que os outros. E no íntimo espera ser reconhecido, reverenciado, julgando-se insubstituível e merecedor de todas as honras, pois desconhece a virtude da HUMILDADE uma vez que, em sua fixação mental, acredita que a sua vontade é que deve prevalecer sobre os outros.

 

Tipo 3: A paixão do tipo 3 é viver na ILUSÃO, na MENTIRA que propaga sobre si mesmo de ser ele “O melhor”. Ele vive para a construção de uma imagem que convença ao mundo de seu valor enquanto ele próprio tem dúvidas e sabe que representa um papel, um personagem. Viver na sua real dimensão é o desafio que tipo 3 precisa enfrentar para desenvolver a virtude da VERDADE e ter sua paz interior.

 

Tipo 4: Fixado em sua melancolia e carência, tipo 4 vive como emoção dominante a INVEJA de achar que “O mundo” tem o que lhe foi negado. Vive preso ao passado ou na expectativa do futuro, e em sua insatisfação permanente desconhece a virtude da EQUANIMIDADE, a capacidade de avaliar com isenção suas reais necessidades, contentar-se e viver seu presente sem uma visão melodramática da vida.

 

Tipo 5: Fixado em seu mecanismo de isolamento, o tipo 5 acaba por fazer da AVAREZA sua paixão dominante. Avareza no sentido de precisar manter distância para não ter que compartilhar sentimentos com o mundo. Avareza no sentido de preservar seus saberes, no sentido de limitar ao mínimo suas necessidades e não ter que envolver-se com os outros ficando limitado ao seu universo mental; e deixando de desenvolver a virtude do DESAPEGO que lhe permitiria experienciar a troca e o envolvimento como a verdadeira  riqueza da vida.

 

Tipo 6: Sendo um incrédulo constantemente assaltado por dúvidas que dominam sua mente, tipo 6 vive angustiado por medos de toda ordem. O MEDO é sua marca, é a paixão que domina seu mundo emocional mesmo quando o esconde de si mesmo em rasgos de audácia e ousadia que caracterizam os do subgrupo chamados contra-fóbicos. Falta ao tipo 6 a virtude da CORAGEM. Coragem de agir com base na fé, na certeza interior o que lhe permitiria ter confiança na vida.

 

Tipo 7: Mentalmente fixado na idéia de sempre tirar o melhor proveito da vida, o tipo 7 tem por paixão a GULA que se revela numa insaciedade, numa voracidade em aproveitar de tudo, numa necessidade de acumular o que puder para seu deleite físico ou mental; esquecido da virtude da SOBRIEDADE, que é a qualidade de saber selecionar e dosar a medida certa e suficiente das coisas sem perder-se nos excessos e poder realizar-se nos diferentes planos da vida.

 

Tipo 8: Acreditando na idéia de que o mundo é dos fortes, dos poderosos, vingativos, o tipo 8 faz da LUXÚRIA sua paixão lançando-se com intensidade, até ao esgotamento, em tudo o que faz. E isso, esquecido de olhar o mundo com a INOCÊNCIA do se deixar levar, sem a necessidade de exercer seu poder e controle sobre tudo e todos, e assim ser capaz de desfrutar sua paz interior.

 

Tipo 9: Acreditando na bondade, na reciprocidade que deveria naturalmente tudo permear na vida, tipo 9 faz da INDOLÊNCIA sua paixão. A indolência no sentido de não querer incomodar-se com problemas, e não querer enfrentar conflitos, de abrir mão de suas vontades ou necessidades, se com isto deixar bem aos outros para que ele possa permanecer tranquilo. Neste processo, tipo 9 esquece a virtude da AÇÃO CORRETA. A virtude de estar alerta, atento a si mesmo no momento certo, na hora exata para não ficar como expectador da vida e poder fazer as coisas acontecerem a seu favor.

 

OS INSTINTOS no PLANO FÍSICO

Três são os instintos que capacitam ao homem viver no mundo:

Auto-preservação: ocupação com segurança e sobrevivência

Social: ocupação com posição e reconhecimento social

Sexual: ocupação com relacionamentos e intimidade

As situações experimentadas nos primeiros anos de vida são fundamentais no reforço de um destes instintos, marcando de forma mais forte a paixão de cada tipo e fazendo aparecer três subtipos para cada um deles. Assim teremos tipos 1, 2, 3 etc. com manifestações diferenciadas de acordo com o instinto dominante seja ele de preservação, social ou sexual.

As experiências instintivas vividas na primeira infância, sejam elas positivas ou negativas, são marcantes e nos acompanham pela vida fazendo-nos reagir aos fatos do presente com padrões registrados no passado pela memória.  E, sendo ela emocional, determina a maneira apaixonada com que interpretamos e reagimos aos acontecimentos atuais.

Os instintos em nós estão assim contaminados pelas experiências que carregamos, e deste modo seguimos pela vida sem capacidade de sermos naturais; só um trabalho consciente de observação e não-identificação pode resgatar o nosso agir espontâneo nas áreas instintivas, favorecendo o florescer das virtudes próprias do ser. 

 

Fontes:

Omraam

Vida

Therezinha Menescal

Terapias de Caminhos

Autoria e outros dados (tags, etc)

A água é de todos








Ciência Iniciática

O espírito domina a matéria.